Dicas para quem quer ser escritor!

Facebook

Skoob

Twitter

Twitpic

Instagram

Tumblr

Tammy

Textos da Tammy

Imprensa

Fotos       &     Entrevistas!

Meu Blog!!!

Blogs que apoiam!

Agenda

Palestra Motivacional!

TV Tammy!

Crônica Falada   &    Clipe de poesia!

Leitores

   Ateliê   &   Livraria do site

 

TODO CONTEÚDO DESSA PÁGINA É DE AUTORIA DE TAMMY LUCIANO. CASO DIVULGUE ALGUM TEXTO, POR FAVOR COLOQUE O NOME DA AUTORA.

Muita gente me escreve pedindo ajuda para ser escritor. A maioria das dúvidas são parecidas. Resolvi então fazer essa página aqui para ajudar você a realizar o seu sonho, assim como realizei o meu. Caso você não tire aqui sua dúvida, pode me escrever que respondo. Para entrar em contato comigo: mande e-mail! Se quiser depois escrever, dando opinião sobre essa página, também vou adorar!

 

(Essa página estará sendo sempre atualizada. Quando eu lembrar de algo mais, volto para contar!)

 

Antes das dicas, vou ser bem sincera:

 

Eu sofri tanto até que as coisas virassem realidade. Sofri muito, fui cuspida, tratada super mal, mas nunca desisti. Eu sempre continuei como se já tivesse dado certo, trabalhava, buscava como se eu já vivesse disso. Enquanto isso, escutava absurdos, chorava, tomava porta na cara, foras, convivia com a dúvida das pessoas (minha família nunca duvidou, mas eu tive que explicar muitas vezes meus sentimentos, para que tivessem certeza que eu não estava brincando), perdia dinheiro e deixei de sair em muitas madrugadas para escrever... E isso durou uns quinze anos. Muita gente que eu conhecia desistiu pelo caminho, mas eu continuei. Gente do meio me tratava mal, dizia para eu desistir, mas eu sonhava com o dia que pessoas gostariam do meu trabalho e fiquei anos e anos mergulhada para que isso acontecesse.

Isso me faz lembrar de uma moça me dizendo: Estou batalhando desde janeiro e estou pensando em desistir porque está difícil. Quis perguntar que janeiro ela estava dizendo, porque no meu caso tiveram que passar uns 15 janeiros até começar a dar certo! #ficaadica :)

Também lembro de uma pessoa tentando acalmar a minha mãe: "Isso é sonho da Tammy e sonho passa". Não passou, ao contrário, virou realidade.

Quem me conhece mais de perto sabe que não estou mudando uma linha do que eu vivi e espero que seja inspiração para vocês! 22/05/2013

 

(Autografando Garota Replay, meu quarto livro, no estande da minha editora Novo Conceito na Bienal de São Paulo)

Eu sempre quis muito ser escritora, MUITO. Assim como quis ser atriz e jornalista. Resolvi estudar e batalhar por tudo isso. Me formei em Artes Cênicas, depois jornalismo, fiz uma extensão em roteiro em Washington D.C., EUA. Não foi fácil. 20 anos me dedicando sem pausa, sempre acreditando... Hoje me sinto mais segura, com muitos sonhos ainda para realizar, mas feliz por já estar no caminho que tanta gente duvidou. Espero que minha experiência possa dar uma luz, para quem não tem ideia de como começar.

Antes de mais nada: Seja escritor porque ama escrever. Não por fama, sucesso e dinheiro. Tudo isso demora a chegar para um profissional da escrita. Você terá que trabalhar MUITO e se escolheu isso por questões que não sejam amar escrever, não vai dar muito certo.

Se for isso que você ama fazer, aconselho: Escreva primeiro uma sinopse (resumo ou uma síntese de uma obra literária, científica...) sobre o seu livro. Anote muitas ideias sobre a história, nome de personagens, cenários e inspirações. Repense a história. Eu faço várias anotações (e até desenhos) sobre minhas criações. É importante esse trabalho, criar uma storyline (resumo da história, com no máximo cinco linhas, contendo apenas o conflito principal de sua história).

É ótimo também você fazer o que os estudiosos chamam de escaleta, uma estrutura do roteiro, onde constará as cenas em ordem e o que acontece em cada cena. Eu faço em pequenos itens, explicando rapidamente o que acontece em cada cena, sem maiores informações, só para me guiar mesmo. Não fazia escaleta, mas hoje faço. Posso mudar depois de ideia, mas a base está ali, inclusive o final que é sempre complicado.

Leia o texto que escrevi para o Blog da minha editora Novo Conceito! AQUI!

Claro que Te Amo!, meu quinto livro, ficou entre um dos nacionais mais vendidos da Bienal do Livro do Rio de Janeiro 2013, segundo nota do Jornal Folha de São Paulo.

O que eu faço depois do livro pronto?

É fundamental registrar seu livro na Biblioteca Nacional. Nem pense em mandar seu trabalho para quem quer que seja, sem que ele esteja em seu nome. Infelizmente não confie. Para saber como funciona o registro, visite esse link!

A editora, caso contrate seu livro, fará um registro dele no ISBN, um número padrão internacional de livro, um sistema identificador único para livros e publicações não periódicas. Só que mesmo a editora fazendo o registro no ISBN, vale você registrar antes mesmo de uma aprovação para a biblioteca nacional. Um registro mais barato, mas que defende a sua autoria. Para saber mais sobre o registro de ISBN que as editoras fazem, visite esse link!

Depois de registrar, envie seu livro para editoras que publiquem o gênero que você escreve. Não adianta mandar um livro de romance para uma editora que só publica auto-ajuda. Vale contar aqui quem muita gente me aconselhava a não mandar meu livro para a Editora Novo Conceito porque ela não publicava autor brasileiro. Mandei, com ajuda de um agente literário, e me tornei a primeira autora brasileira da editora. Um pouco de atitude também vale.

Muita gente, aliás, me escreve perguntando sobre agente literário. Como vocês vão ler mais a frente, eu já tive agente que foi responsável por fechar Garota Replay. Esse profissional é válido se ele for competente e realmente estiver interessado na sua carreira. Vale sempre o cuidado com pessoas que só estão olhando sua batalha para ganhar dinheiro em cima. Aqui no Brasil, a profissão ainda está engatinhando, então toda atenção na hora de fechar o seu contrato. A gente é autor, ama os livros, mas envolvendo documentos, dinheiros, é preciso atenção.

Leia também as cláusulas, peça ajuda de um advogado e até para os seus pais, marido... Aliás, menor de idade pode lançar livro, mas os responsáveis precisam acompanhar todo o processo. Fechar contrato com uma editora é assunto bem sério, são anos da sua vida, do seu trabalho e do seu sonho que estão em jogo. Atenção nessa etapa!

 

Entrevista para o Clube do Livro - Potterish: http://clubedolivro.potterish.com/

 

 

Dúvidas que recebo:

1) Como mandar seu livro para a editora? As editoras estão sempre com pressa. Ninguém tem muito tempo sobrando e as avaliações dos vários e vários livros que chegam todos os dias são ágeis e em ritmo acelerado. O que acho bem válido é você buscar o contato da editora que você acha que tem a mesma linha editorial do seu livro. Prepare um material bem bonito. Coloque um resumo da sua carreira até aquele momento, uma sinopse e os três primeiros capítulos.Sobre a sinopse, escreva com a cabeça do editor. Coloque detalhes interessantes. O editor precisa pensar: Uau! Que interessante. Tem que pensar em pegar o leitor na primeira curva. O leitor pega o livro, vai ler e se não estiver interessante, ele deixa de lado.

 

2) você paga para publicar seus livros? Quanto custa? Como é? Eu não pago nada para a Editora Novo Conceito publicar meus livros. Sou contratada deles e jamais paguei nada para que me publicassem. A Novo Conceito não tem essa política de publicação e não cobra nada dos autores. Não paguei para que Garota Replay fosse publicado e o mesmo acontece com Claro Que Te Amo, meu livro novo que virá por aí. O editor analisa o livro, observa a história, qualidade do texto, se o livro tem potencial de venda e sendo positiva essa análise, a editora publica. O livro pode ser bem escrito, mas não ter potencial de venda. Pode ter uma história ótima, ter potencial e não ser bem escrito. Ou seja, é preciso que esse triângulo funcione para que a editora decida investir dinheiro, tempo e uma equipe inteira na publicação.

Vale contar aqui que tenho amigos que pagaram por publicações e se dedicaram a divulgar o livro, batalhando ele na internet, fazendo eventos... resultado: foram contratados por grandes editoras. O que vale nos dois caminhos é o autor não achar que editora fará por ele e que bastou apenas escrever o livro. Depois do lançamento é que o trabalho aumenta.
 

A leitora Jéssica Soares me fez uma pergunta que muita gente deve ter curiosidade: "Eu não entendi uma coisa: se é você que escreve o livro, por quê tem que revisar?!"

Todos os escritores do mundo têm editor e equipe de revisão. Pode ser o escritor mais fera, famoso, importante, seu editor vai ler o livro e certamente fazer observações. Quando o livro chega na editora, o editor vai avaliar, para aprovar e contribuir de maneira positiva para o projeto. No meu caso, nunca tive que mudar nada enorme, mas já aconteceu do editor pedir uma pequena mudança e eu acabar mexendo em mais coisas do livro que estavam correlacionadas. Ás vezes, uma parte do livro poderia ser mais trabalhada e o editor pode dar ótimas dicas.

Uma vez, uma amiga foi na casa de uma editora importante que estava revisando o livro de um best-seller. Ela me disse chocada: "Como ela tem coragem de questionar o que a pessoa escreve, riscando frases?"

Escritor tem que ter humildade para aceitar isso e saber que tudo é pelo bem do livro. Mesmo sendo bom em português, revisor é fundamental e a cabeça do editor tem o olhar do mercado. Por mais que o autor leia, releia, tem horas que não consegue mais perceber que escreveu "caasamento" com dois as. O livro também recebe apoio de uma preparadora que, como o nome já diz, prepara o texto para que ele seja diagramado.

Jéssica, para você ter uma ideia, antes do livro ser finalizado, existe uma profissional da editora que vai frase a frase com duas cópias do livro, olhando nas duas folhas, para repassar as mudanças pedidas pelo revisor para ver se realmente está tudo ok e foi mudado. Vejo esse como o trabalho mais chatinho dentro da editora.

Depois do editor, do revisor e do preparador olharem o livro, ele volta para que eu possa dizer: concordo com tudo. Pode ser que algo que eles tenham mudado, eu ache que deveria ficar como antes. Aí anoto tudo: “página tal, parágrafo tal, acho melhor assim...” e por aí vai...

Ah e vale contar: Antes de mandar para a editora, eu tenho meu revisor particular, meu paizão, que é meu primeiro leitor e olha o livro todo antes, para saber se não cometi nenhuma loucura.

A história é minha, eu que escrevi, ninguém reescreve o que criei, mas me ajudam olhando com carinho se não passou nenhuma palavra errada, se não tem nada trocado. E é bom demais receber esse suporte. Mesmo assim, escrevo pensando sempre que ninguém me ajudaria, tentando caprichar e dando o máximo de mim. Sei de editor que não aprovou livro porque tinha erro demais.

Espero ter respondido sua pergunta! Beijoca.

 

Conselhos que recebo, NÃO sigo e talvez sirvam para você:



1) "Esse teu sonho não vai dar certo, pensa em outra coisa" - Se eu pensasse assim, não teria lançado nem o primeiro livro e muito menos me tornado atriz. Uma vez, uma frustrada (não é para ofender, digo frustrada porque ela quis ser artista, mas não conseguiu) disse para a minha mãe: "Não se preocupa, esse sonho da Tammy um dia passa". É sonho sim, mas sonho real que faz parte da minha vida.

2) "Você precisa pensar em dinheiro" - Não penso. Penso em trabalhar, em acreditar nos meus projetos, batalhar para que eles cheguem para quem gosta do que eu crio. Não escrevo livro pensando em quanto vou ganhar. O mais louco é olhar quem vive para pensar em grana morando de aluguel e andando de ônibus. Fui conquistando minhas coisas sem fazer tudo por valores, preços...

3) "Escreve vendo o que está fazendo sucesso" - Não vou deixar de escrever o que eu gosto por moda. Respeito quem faz isso, mas minha literatura tem mais força do que eu mesma. Minhas personagens chegam com sua força, seus enredos, contextos e não posso no meio disso tudo enfiar, por exemplo, um vampiro. Gosto de escrever romances, desses que alguns consideram mulherzinha e é isso que me faz feliz!
 
4) "Faça amizades importantes para o bem do trabalho" - Amizade não é negócio e eu não puxo saco, nem procuro pessoas só porque são famosos. Tenho amigos famosos, mas não sou amiga deles por isso. Já vi escritores conquistarem o sucesso e mudarem, pararem de falar. Ninguém é melhor do que ninguém. Faça amigos que quer fazer, sem pensar se eles são ou não importantes e podem ou não te ajudar. Sei que perdi oportunidades por não bajular ou me aproximar de quem tinha muito poder. Prefiro salvar minha integridade mental, saber que sou honesta com meus sentimentos e me sentir feliz por dentro.

5) "Não responda todos os leitores, você precisa ter um certo distanciamento" - Não acredito nisso e enquanto der, vou responder. O dia que ficar impossível, meus leitores vão entender. Hoje em dia, já não consigo ficar tanto tempo na rede social, mas quem acompanha meu trabalho está entendendo que preciso produzir, me concentrar e escrever.
 
 

Livro como diamante
(de Tammy Luciano)

 

(Esse pensamento não é contra ninguém, muito menos criticando nenhum autor. Cada um decide seus passos e determina a maneira que quer trabalhar. Estou apenas colocando aqui mais uma reflexão que pode ajudar quem quer publicar seu livro).
...
Se você é escritor, viva intensamente seu livro quando ele virar realidade. Não fique pensando no próximo lançamento. Valorize sua publicação. Não tenha urgência para não parecer que sua carreira segue o caminho do superficial. Não pule etapas, não corra para mostrar trabalho, tenha calma, paciência, cada livro merece viver intensamente seu momento. Por isso, mergulhe no seu livro até o último segundo, para depois falar com uma saudade boa de quem vive integralmente cada etapa da sua história de amor com a literatura.

Como esperar que o leitor se apaixone pelo seu livro, se você mesmo transmite uma ideia efêmera dos seus projetos?

É por isso que ainda não falei muito do livro novo. Estou me despedindo com abraços apertados (os “upas” mais fofos possíveis) de Garota Replay que na verdade nunca irá embora de mim. Quando o livro novo chegar, vou amar publicamente (já amo na intimidade) a nova história do jeito que ela merece, contando meus sentimentos mais puros, fazendo reflexões sobre a história com meus leitores, assim como faço desde 2003 quando lancei Fernanda Vogel na Passarela da Vida.

Não acelere o pensamento. Não fique louco para lançar um monte de livros, se isso está acontecendo de maneira natural com outros autores. Cuide bem do seu diamante, faça dele um grande passo na sua vida e retribua a benção da publicação do tamanho que ela merece.

 

 
 
 

(Esse vídeo mostra o evento bacana que eu fiz na Livraria Saraiva do Rio Sul, Projeto "Nós, Autores" e durante a entrevista falei sobre questões que talvez ajudem quem está começando!)

 
 

Recentemente dei um depoimento para o Blog Escriba Encapuzado falando de 7 coisas que aprendi na carreira. Vou colocar aqui para quem sabe ajudar vocês ainda mais:

 

Quando fui chamada para participar do “7 coisas que aprendi” pensei nas muitas coisas que vivi, enquanto caminho na estrada da escrita. Muita coisa é diferente do que pensava quando comecei a publicar livros. Inicialmente, jamais pensei em ser escritora de livros. Imaginava que me daria bem como atriz, escreveria nas horas vagas peças de teatro, crônicas e poesias.

Quando escrevi uma crônica falando do acidente que vitimou a modelo Fernanda Vogel, Myrian, mãe da modelo, leu o texto e me fez o convite para fazer um livro . Minha vida tomou novo rumo. Virei o que jamais imaginei: escritora de livros. Escritor escreve seja lá o que for, mas escrever livros traz novidades que só vivendo a profissão para saber. Espero que gostem do que vou dividir com vocês.

  1. Ter um livro não quer dizer ter um livro em livraria.

    Antes de publicar meu primeiro livro, pensava que qualquer um chegava imediatamente nas livrarias. A realidade acontece diferente disso. Vejo muitos autores interessados em publicar a qualquer custo, muitos pagam caro para ter seu primeiro livro. A editora obteve seu lucro e com raras exceções se interessa por distribuir seu livro.

    Para um livro chegar na livraria muito precisa acontecer. Um processo que envolve o sucesso da editora, o nome do autor, a procura dos leitores, os eventos que os escritores fazem, o crescimento nas vendas….

  2. Vale mais escrever com calma, “perder” um tempo da vida para ganhar depois.

    Alguns escritores nervosos me pedem ajuda e demonstram sua ansiedade. Precisam com urgência mandar um livro para editora porque todos estão conseguindo editora menos eles. O melhor a ser feito diz respeito à paciência. Tenha cuidado, escreva com carinho, revise muito.

    As grandes editoras são exigentes, não querem qualquer história e é melhor você “perder” um, dois anos da sua vida trabalhando em um livro, caprichando no produto final, do que entregar qualquer coisa e receber vários nãos.

  3. Você também é revisor do seu livro.

    Ser escritor envolve diretamente o conhecimento da língua. Não adianta apenas escrever achando que outra pessoa revisará seu livro. Revisores e editores surgem na trajetória do seu livro para melhorar o que já está ótimo. Ler e reler o livro, ser cuidadoso com cada parágrafo e buscar originalidade.

    A pressa não ajuda na aprovação do livro. Outro dia um editor me disse: “A ideia do livro encantava, mas o autor tinha muitos erros de português, frases pela metade, só li até o terceiro capítulo”. Esse autor perdeu a chance de ser lido até o final, porque não foi cuidadoso com seu próprio trabalho.

  4. Se quiser viver de literatura, escreva.

    Com raras exceções um só livro não sustenta um autor. O melhor significa assumir a carreira na rotina, escrever todo dia, buscar a profissionalização, tendo em mente seu amor pela literatura, aliado à seriedade para não abandonar a escrita por preguiça. Vale também lembrar da necessidade de estudar enquanto escreve.

    Muitos livros podem ajudar na melhora da sua escrita. Não deixe de se informar. Alguns estudiosos passam ótimas dicas para que seus livros tenham uma estrutura ainda melhor, um ponto de virada surpreendente e um final que encante seus leitores.

     

    (O livro A Segunda Vez Era Amor continua inédito. Antes dele lancei Sou Toda Errada e Garota Replay que você pode encontrar nas livrarias)

     

  5. Seu livro, além de seu, é um produto de uma editora.

    Muitos escrevem seus livros emocionados, cheios de expectativas, ideias… Mas do outro lado do projeto está a editora. A empresa que publica seu livro tem vários profissionais acostumados na preparação dos livros.

    Não seja chato a ponto de querer se meter com a capa, por exemplo, nem reclamar das ideias do marketing planejado para o livro e não se meta com o trabalho do seu editor. Se ele disser: aquele trecho necessita de mudança, tenha humildade para refletir sobre isso e capacidade de mudar e fazer ainda melhor, surpreendendo seu editor.

    Não vire estrela na editora, não ache que as pessoas da empresa são seus empregados, que você manda e tem autoridade sobre eles. Seja profissional e querido no tratamento com as pessoas que lidam e participam da prontificação do livro. Acredite que o bom tratamento junto às pessoas que trabalham na editora refletirá na alegria em trabalharem no seu livro.

  6. Pense na possibilidade de ter um agente.

    Você escreve o livro com toda a vontade, batalha por ele, prepara um texto de qualidade, cria uma história original, mas simplesmente não consegue ser lido. Pense na possibilidade de ter um agente literário. Eu tive. Até o terceiro livro (Sou Toda Errada), eu mesma fechava os contratos dos meus livros, mas o quarto livro (Garota Replay) foi negociado por um agente.

    Em 2011, me tornei escritora da Editora Novo Conceito. Por mais que acredite que o retorno sempre vem para quem trabalha, penso que um agente pode ser uma opção. Mas se optar por um, cuidado. Existem pouquíssimos no Brasil, então não saia assinando contrato sem conhecer o profissional, sem antes consultar um advogado e ter certeza que não estará sendo enganado.

  7. Escritores precisam ser amigos de escritores.

    O trabalho do escritor é solitário, mas a carreira não precisa ser. Sou da turma que gosta de me unir a outros escritores, de divulgar os livros dos meus amigos e isso não diminui minha carreira. Pelo contrário, fiz amigos maravilhosos, li livros de autores nacionais ótimos.

    Não ache o seu livro o melhor de todos e saiba que você não está acima de ninguém. Escritores estão na mesma batalha e mesmo que você ame seu livro e lute muito pela sua carreira, pode também ter parcerias com escritores. Isso só valoriza a nossa literatura nacional.
     

 

Para finalizar: Não escreva um livro parecido com livros de sucesso para agradar o mercado. Escreva o que gosta de ler, escreva apaixonada pelas personagens. Editoras e leitores sentem quando você quis embarcar na onda do momento. Agora se você gosta de fantasia, escreva fantasia. Também não mude seu gosto porque anda muito popular. Escreva com a alma, o coração, a emoção e as dores no corpo... rs Para ser escritor tem que aguentar muito tempo sentado no mesmo lugar! :)

Não fique tenso com o sucesso alheio. O outro está fazendo sucesso, você ainda não? Calma e paciência que sua vez vai chegar! Alguns perdem tempo olhando o sucesso alheio, enquanto deveriam trabalhar em prol do sucesso próprio. Pense nisso. Escreva muito, trabalhe todo dia, faça contatos, busque opiniões, se apresente, crie projetos, mostre diferencial.

 

Importante: Recebo muitos pedidos para escrever prefácio, orelha e até assinar junto o livro de pessoas que querem lançar seus originais pela Editora Novo Conceito. Infelizmente, meu tempo hoje é muito curto, não tenho condições de ler todos os livros de quem quer me enviar (achei nessa página uma maneira de ajudar, retribuindo o carinho de vocês), também não aceitaria assinar um livro sem que fosse realmente meu. Se você quer buscar sua oportunidade, tenha certeza que o melhor caminho é mandar seu original para as editoras, sem tentar saídas mirabolantes. Se o seu livro for bom, original, será publicado! Estou torcendo por você! :)

 

Essa página não tem fins lucrativos e se você discordar com alguma informação, me escreva falando. Talvez eu esteja mesmo errada. Não sou a dona da verdade, muito menos quando o assunto é escrever. A ideia dessa página é apenas para ajudar as várias pessoas que me escrevem todos os dias, pedindo ajuda para começar. Para escritores "formados" essa página pode falar mais do mesmo, mas escrevi essas informações em cima das dúvidas que recebo por e-mail. Espero que essa página ajude as pessoas que visitam meu site e sonham com a carreira de escritor.

Sejam sempre felizes!

 

Recado que recebi comentando a página!